Ruy Ohtake deixa um legado de cores no espaço urbano

Arquiteto foi um dos entusiastas do concreto na arquitetura

Ruy Ohtake foi um dos principais arquitetos brasileiros. Dono de um estilo marcante, sua obra está presente nos espaços urbanos de importantes cidades do Brasil e do mundo. Ele foi, ainda, um grande entusiasta da arquitetura em concreto e de sistemas à base de cimento.

Ohtake nos deixou no último dia 27 de novembro, em decorrência de uma Mielodisplasia.

Ele deixa como legado uma linguagem original, que uniu o concreto aparente com uma infinidade de cores vibrantes, formas geométricas bem definidas e linhas arredondadas.

Carreira, influências e importância

Ruy Ohtake é o primogênito da artista plástica japonesa naturalizada brasileira Tomie Ohtake. Ele se formou na FAU-USP – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, em 1960.

Sua obra foi influenciada por arquitetos e urbanistas como Oscar Niemeyer (1907-2012) e Vilanova Artigas (1915-1985). O próprio Ruy se tornou uma referência para as gerações de arquitetos que vieram depois dele.

Em sua carreira, foram mais de 300 obras realizadas no Brasil e no exterior e 25 prêmios, entre eles o Colar de Ouro, a maior honraria concedida pelo Instituto de Arquitetos do Brasil.

O arquiteto do concreto

Ruy Ohtake se notabilizou por utilizar em suas obras materiais que contrastavam com seu traço extremamente leve. Ele foi um entusiasta do concreto arquitetônico e de suas possibilidades em diferentes tipos de projetos.

Em 2016, assinou e desenvolveu o design de 500 esculturas denominadas “CONCRETO Arte em Movimento”. Elas foram moldadas por pessoas em situação de rua ligadas ao Projeto Crescimento, da POLI USP.

As peças foram produzidas em concreto de alto desempenho e sintetizam a estreita relação de Ruy Ohtake com o material. Por meio de sua obra, ele demonstrou toda a flexibilidade e as inúmeras formas que o concreto pode adquirir.

Principais Obras

Entre suas principais obras, destacam-se o Instituto Tomie Ohtake, projetado em homenagem à sua mãe, o Hotel Unique, o Terminal Sacomã e o prédio da Embaixada Brasileira em Tóquio.

Que o legado de Ruy Ohtake continue inspirando as próximas gerações de profissionais a utilizarem o concreto em suas infinitas possibilidades.

Notícias Relacionadas